Temer diz que vai respeitar decisão da Justiça sobre Cristiane

O presidente Michel Temer (MDB) afirmou, em entrevista à Band exibida na noite desta terça-feira, 6, que mantém a indicação de Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho e que respeitará a decisão final da Justiça. A nomeação da deputada foi barrada por uma sequência de decisões judiciais e está nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF). “Evidentemente, eu vou obedecer o que o Judiciário acabar decidindo”, disse Temer. O presidente defendeu a prerrogativa de o presidente da República nomear ministros e comparou a situação da deputada, que é alvo de processos trabalhistas, com a de um ministro dos Transportes que tenha recebido multas de trânsito ou a de um ministro da Saúde que fume.“Eu estou caricaturando um pouco para demonstrar que até ao nomear eu posso cometer um eventual equívoco administrativo. O que não posso cometer é equívoco jurídico. É por isso que, ao utilizar a competência privativa, como disse, do presidente da República, eu fiz o correto.” Temer declarou não se arrepender de ter escolhido Cristiane Brasil para o cargo. Conforme informou o Estado no último sábado, 3, Cristiane é alvo de um inquérito policial que apura suspeitas de tráfico de drogas e associação para o tráfico durante a campanha eleitoral de 2010. A investigação foi enviada à Procuradoria-Geral da República, em Brasília, porque ela dispõe de foro privilegiado. Para o advogado de Cristiane, André Miranda, o inquérito que investiga sua cliente tem como base uma denúncia “apócrifa”, sem fundamentos. (Estadão)