Hábito de doação de sangue passa de pai para filho

Hábito de doação de sangue passa de pai para filho

Ao longo de 52 anos, o servidor público, Arnaldo Seixas, foi um fiel doador de sangue. Sua primeira doação aconteceu quando ele ainda tinha 18 anos, motivada por uma promessa feita após sua mãe precisar de uma transfusão. Desde então, Arnaldo não deixou mais de doar sangue. “Assumi este compromisso de ir ao banco de sangue sempre que alguém precisasse, mas acabou se tornando um hábito agradável”, conta ele que fez sua última doação no dia 14 de março, último dia com seus 69 anos, idade limite para doação.

Mas a história de doação da família Seixas não terminou com a comemoração dos 70 anos de Arnaldo. O filho dele, Vinicius Seixas, de 33 anos, já incluiu na sua rotina as idas à Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba). Vinicius conta que há cerca de dois anos começou a doar por influencia do pai. “Falei para meu pai não se preocupar, que quando ele não pudesse mais, seria eu o fiel doador”, afirma Vinicius. “É uma responsabilidade gratificante. É algo que me faz muito bem”, diz Vinicius, que tem o reforço de seu pai. “Às vezes, digo até que é um ato egoísta, por me sentir tão feliz em fazer a doação”, destaca Arnaldo Seixas.

Para reforçar o exemplo desse e de outros pais e filhos que doam sangue na Hemoba, a fundação terá uma programação especial no dia 12 de agosto, véspera do dia dos pais. A partir das 9h, integrantes do Afoxé Filhos de Gandhy farão uma patuscada na unidade coletora central, na Avenida Vasco da Gama, em Salvador, e aproveitarão para doar sangue. Neste dia, as doações poderão ser feitas até às 12h30.

Sobre a doação de sangue

Doar sangue é um ato simples, rápido e seguro. O organismo repõe o volume de sangue doado nas primeiras 24 horas após a doação. Todo o material utilizado na coleta é descartável, o que elimina qualquer risco de contaminação para o doador.

Para doar sangue, o voluntário deve estar em boas condições de saúde, pesar acima de 50 quilos e ter idade entre 16 e 69 anos – menores de 18 anos devem estar acompanhados por um responsável legal. É necessário estar descansado (ter dormido pelo menos 6h nas últimas 24h) e bem alimentado, tendo, preferencialmente, ingerido alimentos sem gordura, e portar um documento oficial com foto (RG, carteira de trabalho, carteira de motorista ou de reservista) em bom estado de conservação.